perfil tattoo: Jotapê Pabst

Não é de hoje que conheço o trabalho do Jotapê. Lembro dele trabalhando no estúdio onde eu fiz minhas primeiras tattoos, lembro também que na época ele tinha feito umas ilustrações navy para  a Capricho e eu tinha amado por que tinham sereias! Daí até cheguei a ver com ele pra fazer duas andorinhas no colo (onde tenho a caravela e as damas hoje), mas ainda tava muito na duvida porque queria um desenho com sereias, enfim! Acabou que a gente se desencontrou nos horários eu fiquei sem grana e nunca tatuei com ele, hahahaha! Parece até história de novela mexicana, mas é verdade! Porém sempre acompanhei o trabalho dele no fotolog e flickr e achei muito foda! Ainda mais pra alguém (relativamente) novo e que começou tão cedo a fazer tatuagens. Acho o Jotapê muito exemplo desta nova geração de tatuadores (de verdade no caso, né!), da linha dos que realmente entendem o que estão fazendo, estudam e pesquisam sobre o que é a tatuagem de verdade.

jotape_perfil

Nome: Jotapê Pabst
Idade: 24
Signo: Escorpião/Tigre
Estilo de tattoo que curte: Acima de tudo, os tradicionais. Tanto o tradicional ocidental, quanto o oriental e os mais ancestrais são os principais pilares da tatuagem contemporânea. A tatuagem tradicional carrega uma série de valores que devem sempre ser respeitados. Mas eu também não sou um conservador radical. Eu acho que a tatuagem ainda tem muito espaço pra evoluir em termos artísticos. Mais recentemente eu tenho gostado bastante de alguns movimentos contemporâneos, como a escola do Thomas Hooper e do Lyam, de Nova York, e do Yann Black de Montreal, e também daquela cena meio graffitti de Madrid, com o Deno, o Gore e o Bara, além das outras inúmeras releituras adaptadas dos estilos clássicos que têm por aí.
Artistas/tatuadores em que se inspira: Porra! São muitos. Vou tentar sintetizar um pouco. Em primeiro lugar os meus mestres, Aldemir Martins e Rubens Matuck, com quem eu aprendi a gostar de todo tipo de arte e não ter preconceitos, e Rick Pacchini, que me ensinou praticamente tudo que eu sei na tatuagem.
Me inspiro bastante também na escola criada pelo August “Cap” Coleman, e aperfeiçoada pelo Sailor Jerry. E na escola criada pelo Dan Higgs e aperfeiçoada por muitos outros tatuadores, como a tal cena de Madrid.
Aprendi a desenhar mulheres graças a desenhos de “Texas” Bob Wicks, garimpados em meia-dúzia de livros, o cara era mestre demais.Lá em cima eu já citei as escolas do Thomas Hooper, do Lyam e do Yann Black… gosto muito também do estilo do pessoal do Welldone Tattoos de Buenos Aires, Mariano Castiglioni, Dominguez Dumois, KB, Naza, e especialmente do Piranha, que em menos de dois anos tatuando, já tem um trabalho surreal.
Tem também todos os tatuadores tradicionais japoneses, Horiyoshi, Horikoi, Horitomo, Horitaka, Horichyo, Horihide, Horirico e Shion, e os mais contemporâneos Sabado, Genko, Hiro, Ritsu, Rei, entre outros.
Também admiro muito os trabalhos do Tinico e do Jun Matsui, e dos embaixadores da tatuagem húngara em São Paulo, Ivan Szazi, Misi Karai, e Laci Kis, todos amigos próximos que estão sempre me ajudando.
Teve todo o pessoal daqui que quase uma década atrás me inspirou a querer ser tatuador, Márcio Duarte, xTetéx, Hercoly, Pedro Lucente, Neto, Maurício Teodoro, Mauro Landin, Fabio Pimentel, Arthur Camargo, Chivitz, e outros que eu fui conhecendo depois, xManekox, xBicudox, Julio Casagrande, Kalunga, Gabriel Ribeiro.
E ainda tem todo o pessoal da velha-guarda, Charlie Wagner, Huck Spaulding, Paul Rogers, Willie/Walter/Stanley Moskowitz, Owen Jensen, Lyle Tuttle, George Burchett… Putz, tem mais um monte de gente, vou parar, senão não acaba mais.
Quanto tempo tatua: 7 anos.
Eu sou… Tatuador, né. Faço ilustrações e caricaturas também, paralelamente.
Descobri o mundo das tatuagens… através da minha mãe. Ela começou a se tatuar com 40 anos, quando eu tinha uns 13. Fez uma lagartixa minúscula no braço. Depois uma cobra, uma estrela náutica, e dois anos depois – junto com meu pai – já era uma grande colecionadora de tattoos, com os braços e costas fechados. Nesse meio-tempo ajudou a montar o estúdio Atomic Tattoo em sociedade com o Hercoly, e lá eu convivi um pouco com a energia de um estúdio de tatuagem, foi meio que amor à primeira vista. O mais difícil foi que minha mãe não me deixou tatuar com menos de 18 anos, mesmo já estando lacrada de tattoos. Acho que foi uma das coisas mais sábias que ela poderia ter feito. ( só Deus sabe as idéias que eu tatuaria no auge da minha adolescência).
‘Don’t do it’ Tattoo é: …….. pô. Não sei. A quantidade de idéias absurdas – que acabaram dando certo – que as pessoas trazem pra mim acabaram me ensinando que toda idéia tem potencial pra se tornar uma boa tattoo. Cabe ao tatuador conseguir entender e desenvolver essa idéia da melhor forma, ou reconhecer suas limitações dentro da proposta e deixar para outro fazer. Dar tempo ao tempo também é uma boa alternativa. Tive um cliente que foi fiel ao ponto de esperar dois anos até eu ter a inspiração pra idéia que ele queria tatuar, e eu acho que valeu à pena.
É lógico que tem idéias que acabam sendo ridículas. Mas aí é uma coisa que varia muito de pessoa pra pessoa. Um Jesus Cristo realista extremamente tosco e mal-feito pode parecer ridículo em uma moderninha neo-hipster, mas no pedreiro que toma pinga com limão às 8 da manhã no boteco aqui da esquina fica muito mais legal do que uma tattoo colorida refinada. Nem acho que seja um lance de planejar ao longo de anos a tattoo, porque tatuagem é uma coisa de impulso também. Acho que a essência de fazer uma tatuagem tá mesmo no caráter da pessoa, das suas convicções consigo mesma. Uma pessoa com a cabeça fraca, aquela que hoje em dia vai tatuar mais por piada ou obrigação social do que pela vontade em si, acaba tendo muito mais chances de acabar com uma ‘don’t do it’ tattoo.
E, apesar de achar bem válido aloprar a ‘don’t do it’ tattoo alheia, o que interessa mesmo no final das contas é o que a tattoo representa pra pessoa, e como ela combina com quem a veste. Hercoly, um dia, disse: “cada um tem a tattoo que merece”. E eu acho que essa é a frase que melhor descreve o universo da tatuagem.
Site: http://www.flickr.com/photos/blackhattattoos
Estúdio: Black Hat Tattoos, Rua Cardeal Arcoverde, 846. Tel: 2691-7714]

Abaixo alguns dos trampos do Jotapê.

Valeu Jotapê pelo seu tempo. Adorei o perfil hahahahaha!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

11 Responses

  1. Paola

    Nossa, muito legal as perguntas e as respostas nem se fala. O cara manja muito mesmo de tatuagem e cada vez vejo que isso é mesmo muito importante para um profissional dessa arte. Não conhecia o trabalho dele mas agora vou ficar de olho. Parabéns por amar a sua profissão Jotapê!
    Ah e dia 20 de julho foi dia do Tatuador não foi Brisa?
    : )

    Responder
  2. Carlos

    Brisa, dei uma pesquisada na net e não encontrei a resposta, então resolvi vir aqui te incomodar… O que significa esse desenho? http://migre.me/5mxdd

    Saca quando você olha um desenho e se identifica de cara? Só que sem o significado fica meio difícil saber o porque hahahaha.

    Responder
  3. Jotapê

    Obrigado Brisa!
    Gostei do “alguém (relativamente) novo”. hahahahah
    Te falar que já teve gente que achou que eu tinha 30 e poucos anos. Cigarro+cerveja+sedentarismo+café de boteco todo dia=cara de acabado.
    Mas acho que isso é bom. Ninguém confia num tatuador moleque. Com cara de ancião eu devo passar um ar de maior vivência e sabedora. Ou assim espero, né.
    Mas, gostei do post. Espero que eu não tenha falado nenhuma merda muito grande.
    Obrigado Paula também, pelos elogios!

    Responder
  4. Jotapê

    Brisa, desculpa intrometer, mas vi a pergunta do Carlos e queria dar uma opinião aqui, posso?

    Essa é uma pergunta bastante recorrente aqui no estúdio: “o que significa…?”
    Acho que, acima de tudo, o significado da tattoo só diz respeito a quem a carrega.
    A simbologia de cada desenho pode variar muito de cultura pra cultura, e também de pessoa pra pessoa.
    Vou pegar a coruja como exemplo, por ser símbolo que eu já tatuei por vários significados. Em diversas culturas, ela ta associada à sabedoria, esse sendo seu principal significado… mas não o único. Um cliente em especial tem horror às corujas, porque sua avó dizia que o canto dela anunciava a morte de um ente próximo, enquanto – totalmente oposto – minha sogra quer tatuar uma coruja por se considerar uma “mãe coruja”. Um outro moleque tatuou uma coruja simplesmente porque gosta de fazer coisas de madrugada. Teve um que fez pra mãe, porque ela coleciona estátuas de corujas, e teve um que fez em homenagem à namorada, porque essa tatuou uma coruja também.

    Explicando melhor: cada desenho traz consigo uma série de significados, mas o que interessa mesmo é o que você vê nele.
    No desenho que o carlos mandou, tem uma bomba, que pra mim dá aquela imagem de algo prestes a explodir. Pode ser relacionado a personalidade, ou ao que você bem entender.
    O olho costuma estar mais associado à sua simbologia maçônica, como em “o olho que tudo vê”, ou o “olho da providência divina”, representando Deus, ou qualquer entidade superior. Asas são símbolo recorrente de liberdade, os ramos podem ser arruda – contra mau olhado, ou louros – símbolo de glória. E a flor pode simbolizar a beleza e a ternura.

    Mas tudo isso é relativo. Só Deus sabe o que isso tudo significa pra quem fez esse desenho, e só você pode saber o que ele significa pra você.

    Eu, por exemplo, me considero um colecionador passional de tatuagens. Já me tatuei com 13 tatuadores diferentes, e cada desenho foi escolhido levando muito mais em consideração o trabalho do tatuador escolhido do que a simbologia dos elementos. O mais divertido foi que, ao longo dos anos, eu fui adotando diversos significados pra cada desenho que eu tenho tatuado. Alguns, anos depois de fazer a tatuagem. O maior signifado de cada uma, pra mim, é lembrar do momento que eu vivia na época, e lembrar da troca de experiências que eu tive com cada tatuador.

    De qualquer forma, eu aconselho a compra de um livro, chama “Dicionário de Símbolos”. É realmente como se fosse um dicionário, e aborda várias simbologias de cada desenho. O único problema é que tem pouquíssimas ilustrações, uma heresia pra um livro de “símbolos”. Mas ainda assim vale à pena.
    Não é muito difícil de encontrar, minha mulher comprou na Livraria Cultura.

    Espero ter ajudado um pouco.

    Responder
  5. Jotapê

    “queria dar uma opinião aqui, posso?”

    Espero que sim, porque eu já dei, né. haha
    Esqueci e apertei o submit. Desculpa se eu invadi o espaço, sei lá.

    Responder
  6. Paola

    Sem problemas Jotapê. As pessoas trocam mesmo o nome.
    : )
    Ah e acho que a Brisa não vai achar ruim vc dar a sua opinião, até mesmo porque pode ter ajudado o carinha aí, e a Brisa é muito legal. : )

    Responder
  7. talita

    nossa, eu tbm lembro da capricho hahaha amei demaisssss
    ainda quero tatuar com ele, tem uma sereia sentada em uma âncora no fotolog dele que é maravilhosa!!

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.